Barra de Pesquisa
ENG POR

+55 43 3341-8713 | +55 43 3341-8737 | [email protected] | Rua Ernâni Lacerda de Athayde - Ed. Comercial Genéve - Gleba Fazenda Palhano - Londrina-PR

Blog

Fixação Biológica de Nitrogênio e a inoculação: entenda sua importância para a planta

12.12.2017 / Notícias / 0 Comentários

O Nitrogênio é de suma importância no processo de desenvolvimento da planta, pois é responsável pelo crescimento. A falta do mesmo pode causar amarelamento das folhas, diminuição da fotossíntese, e consequentemente menor crescimento, afetando assim a produtividade final da planta. 

Inoculantes estimulam a formação de nódulos nas raízes, responsáveis pela FBN

A FBN é a conversão do Nitrogênio (N2) presente na atmosfera em formas que podem ser utilizadas pelas plantas. Esta conversão é realizada por bactérias, denominadas diazotróficos, bactérias fixadoras de nitrogênio, podendo ser associativas ou de vida livre. A enzima responsável pela fixação de nitrogênio é denominada Nitrogenase, processo em que as bactérias transformam o Nitrogênio na forma assimilável para planta (NH3 – amônia), e a planta retribui fornecendo compostos orgânicos para a bactéria através da fotossíntese.

Um exemplo consolidado da simbiose com bactérias diazotróficas é o das plantas do grupo das leguminosas (feijão, soja, amendoim, entre outras) com bactérias conhecidas como rizóbios, pois estas têm a capacidade de formar estruturas nas raízes conhecidas como nódulos, local onde se dá a FBN.

A atuação dos inoculantes

Inoculantes são produtos contendo bactérias que infectam a raiz, estimulando a formação de nódulos em plantas do tipo leguminosa, e estes nódulos são responsáveis pela fixação biológica de nitrogênio.

As bactérias do tipo Rizóbio, que são as mais eficientes para FBN na soja, não são bactérias encontradas em abundância em solo brasileiro, por isso a inoculação é de extrema importância, para que haja uma maior nodulação.  

Outro exemplo de bactérias fixadoras de nitrogênio são as do gênero Azospirillum spp., que além da FBN, têm a capacidade de produzir hormônios de crescimento, que estimulam o aumento de pelos radiculares, fazendo com que a planta possa suportar mais estresses hídricos, pois esses pelos melhoram a capacidade da planta de absorver água do solo. (EMBRAPA)

No Brasil, o ato de inocular dispensa qualquer adubação nitrogenada na lavoura de soja, pois através da FBN, o N2 atmosférico é convertido em até 300 kg de N/ha. (EMBRAPA).

As vantagens da inoculação é que há uma economia muito grande para o produtor, pois não há a necessidade de gasto com fertilizantes nitrogenados industriais, o ambiente também é beneficiado, visto que grande parte desses fertilizantes não é aproveitada pela planta,  podendo ser perdida por volatilização, por lixiviação, poluindo lagos, rios e lençóis freáticos. Além da alta eficiência, o custo do inoculante é muito viável para o produtor.

A Rizobacter possui a mais alta tecnologia em inoculantes, produzindo o produto com maior tempo de pré-inoculação do mercado: o Rizoliq LLI, com 60 dias. Além deste, a mesma tecnologia está contida no Rizoliq Top HC, este, com 10 dias de pré-inoculação. Confira os detalhes dos produtos nos links:

http://www.rizobacter.com.br/produtos/rizoliq-lli

http://www.rizobacter.com.br/produtos/rizoliq-top-hc

 

 

 

Mendes, Iêda de Carvalho. 20 perguntas e respostas sobre fixação biológica de nitrogênio / Iêda de Carvalho Mendes, Fábio Bueno Reis Junior, Mariangela Hungria da Cunha. – Planaltina, DF : Embrapa Cerrados, 2010.19 p. – (Documentos / Embrapa Cerrados, ISSN 1517-5111, ISSN online 2176-5081 ; 281).


Veja também

próximo
anterior

Comentários

Seja o primeiro a comentar!


Escrever Comentário

Siga a Rizobacter nas redes sociais